REVISTA

Filie-se

Após 2ª denúncia, reforma da Previdência não deve passar

O governo está cada vez mais pessimista com a possibilidade de emplacar a reforma da Previdência neste ano. Avaliação realista feita por integrantes da coordenação política do Palácio do Planalto indica que o calendário ficou extremamente apertado com a votação, pela Câmara, das duas denúncias contra o presidente Michel Temer. 

Segundo o blog do Camarotti, a percepção é de que sobrará pouco tempo e quase nenhum capital político para votar a reforma da Previdência. Apesar do discurso oficial de que o governo manterá o calendário das reformas, a ordem no Planalto é priorizar todo o esforço para superar a segunda denúncia contra Temer.

O Planalto já considera a reforma da Previdência uma possibilidade remota. Só depois de concluída a votação da denúncia é que será feita uma avaliação se o governo vai conseguir votar pelo menos um texto desidratado que possa incluir a idade mínima. “É preciso ser realista”, resumiu um integrante da coordenação política do governo.

Postado em: 26/09/2017