REVISTA

Filie-se

Presença de idosos no mercado de trabalho cresce 58,8%

A presença de pessoas com mais de 65 anos no mercado de trabalho cresceu 58,8% entre  entre 2010 e 2015. Em 2010, eram 361,3 mil idosos com carteira assinada. Cinco anos depois, esse número subiu para 574,1 mil.

Para o coordenador de Estatísticas do Trabalho do Ministério do Trabalho, Mário Magalhães, isso é resultado de uma maior longevidade da população. “O aumento da longevidade dos brasileiros tem feito com que eles tenham uma vida produtiva também mais alongada. Isso, aliado à experiência adquirida com o tempo, faz com que ocupem cargos de mais alto escalão, onde os salários também são mais altos”, afirmou Magalhães.

Segundo dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do mês de agosto, a remuneração média dos idosos foi de R$ 1.981,61, 32,5% maior do que a média brasileira de salários no mês de agosto, de R$ 1.495,07. Já a média salarial de jovens até 17 anos é de R$ 771,36 e a de jovens de 18 a 24 anos é de R$ 1.210,67.

Postado em: 03/10/2017