REVISTA

Filie-se

É hora de barrar a reforma da Previdência no Senado

A Central Única dos Trabalhadores (CUT) e outras lideranças sindicais participaram de uma reunião junto à bancada do PT para articular ações para convencer o Senado Federal de não aprovação da reforma da Previdência ou de revisão de pontos que prejudicam os trabalhadores e aposentados.

O Plenário da Câmara dos Deputados aprovou em segundo turno o texto-base da reforma da Previdência por 370 votos a favor, 124 contra e uma abstenção.

Na votação dos destaques, os deputados rejeitaram uma proposta de mudança que impedia que a pensão por morte fosse inferior a um salário mínimo em qualquer caso.

Para o ex-ministro da Previdência, Carlos Gabas, 90% do que o governo quer economizar não tem nenhuma relação com outra coisa a não ser com a retirada de direitos dos trabalhadores. “Ao mesmo tempo em que quer retirar direitos dos trabalhadores, o governo concede isenção tributária para empresas petrolíferas multinacionais. Quebraram a indústria naval nacional e agora concederam R$ 1 trilhão de isenções de tributos que deveriam ser destinados ao INSS”, disse. 

Postado em: 07/08/2019