REVISTA

Filie-se

Solidão afeta a saúde dos idosos

Estima-se que 10% dos idosos padecem de solidão maligna, isto é, aquela que compromete a saúde física e emocional. Dentre eles, 70% têm problemas psicológico ou físico associados à solidão.

Em geral, a solidão influencia na saúde cerebral de uma forma muito similar ao do estresse crônico. Ambos provocam uma resposta negativa no sistema endócrino e imunológico, que, por sua vez, faz com que o organismo fique mais propenso a desenvolver diferentes patologias.

Segundo o diretor do Instituto de Investigaciones Psiquiátricas (Instituto de Investigações Psicológicas – IIP), Manuel Martín Carrasco, “as doenças comuns no estado de solidão são hipertensão arterial, diabetes,  infecções repetidas, ansiedade e depressão”.

No caso das pessoas idosas, os efeitos são mais diretos e negativos devido à diminuição da capacidade de resistência fisiológica, isto é, a capacidade que tem o organismo para suportar e se adaptar a condições adversas, além da redução dos mecanismos de reparação, como consequência do próprio envelhecimento.

O mais preocupante é que se estima que o problema da solidão nos idosos está aumentando e que em alguns anos poderá se tornar em um problema da saúde pública mundial.

Para os especialistas, qualquer redução da solidão pode significar em benefício para a saúde do idoso, pois se considera que “o primeiro fator que assegura uma boa qualidade de vida é ter relações sociais”.

Quando o idoso está em condição de solidão, um dos fatores determinantes é o tipo de atividade social que ele teve durante toda sua vida.

Neste sentido, é complicado dar tratamento e apoio a um idoso que a vida toda teve dificuldades para socializar e que foi marcado pela rejeição, desorganização ou temor.

Contudo, com um tratamento personalizado e com intervenção psicológica e, inclusive, psiquiátrica, é possível dar uma solução para todas essas situações que, em outros momentos da vida, não foram resolvidos.

Além disso, os grupos de apoio, os serviços que oferecem companhia, os grupos de terceira idade e o simples fato de se ter uma pessoa durante o dia para conversar, podem contribuir para superar a solidão e melhorar a saúde em muitos aspectos.

De Melhor com Saúde

Postado em: 12/03/2018