REVISTA

Filie-se

"Nossa luta continua contra a reforma da Pevidência"

A reforma da Previdência foi em primeiro turno na Câmara dos Deputados, com o placar de 379 votos a 131 contrários.   “Não podemos deixar o governo Bolsonaro aprovar essa crueldade com os trabalhadores, principalmente os mais pobres, sem fazer nada. Vamos pressionar os 81 senadores para que eles digam não a essa maldade”, afirma Luiz Epitácio Epaminondas, o Luizão, presidente do SINTAPI-CUT.

Para ele, agora é hora de as entidades de aposentados, trabalhadores, movimentos sociais e centrais se unirem contra a reforma, que vai prejudicar, mais uma vez, os trabalhadores em situação precarizada, que possuem menor nível de escolaridade e de menores rendimentos, mulheres e negros.

Ele lembra que o déficit que o governo está querendo vender para aprovar a reforma da Previdência é uma falácia e que a dívida por sonegação previdenciária beira a R$ 1 trilhão.

Boa parte desse valor foi descontado do salário do trabalhador pelas empresas e não repassado aos cofres do INSS. Ou seja, além de não repassar o dinheiro à Previdência esses empresários embolsam recursos que não lhes pertencem. 

Postado em: 11/07/2019